Cuidados com os olhos devem ser redobrados no verão

Untitled-1

Janeiro, férias e muito sol. Assim é o verão para muitas crianças e adultos que ganham semanas inteiras de descanso e lazer. Nessa época, é muito comum lembrar dos cuidados necessários com a pele e o cabelo, porém, pouco se fala nos olhos. Por isso, é importante ficar atento a alguns detalhes para que a visão não seja prejudicada durante esse período.

Para quem gosta de visitar o litoral, atenção com a areia da praia. Ela pode trazer perigos, a exemplo da contaminação por toxocaríase. A oftalmologista Dra. Liana Ventura, do Hospital de Olhos de Pernambuco (Hope), explica que a doença é transmitida por contaminação através de gatos ou carnes cruas, podendo também ser contraída na praia, caso a areia esteja infectada por fezes de animais. “O toxoplasma gondii tem especial atração pela retina e cérebro, podendo causar baixa visual e calcificações cerebrais, convulsão”, diz.

Na hora de utilizar o protetor solar, é preciso evitar que o suor, banho de mar ou de piscina façam com que o líquido caia no olho. “Nesses casos, além da ação solar, pode haver uma queimadura química ocular”, explica Dra. Liana. Outro fator que pode desencadear esse tipo de lesão é a exposição excessiva ao cloro da piscina. Um conselho também é nunca mergulhar utilizando lentes de contato, pois pode haver uma contaminação por Acantamoeba. “Em situação alguma este uso é permitido. E o ideal é que, além de retirar a lente, faça-se uso dos óculos de mergulho”, avisa.

E, claro, o uso dos óculos escuros que, mais do que um artigo de beleza, deve ser utilizado como protetor. “Quanto mais cedo a criança for estimulada a usar óculos escuros, melhor. Isso porque doenças relacionadas ao sol geralmente só se manifestam depois de muitos anos.” Óculos escuros inadequados, entretanto, sem a devida proteção dos raios ultravioleta, são contraindicados. A pupila tem a finalidade de regular automaticamente a quantidade de luz que entra nos olhos, quando a pessoa é exposta a ambientes claros e escuros. Em ambientes ensolarados, os óculos de sol de qualidade, adquiridos em óticas reconhecidas, têm proteção às radiações solares e bloqueiam a entrada excessiva da luz, protegendo o olho.

Quando se utiliza aqueles comprados sem o selo de proteção ultravioleta, com preços consideravelmente baixos e fora de óticas certificadas, a pupila é “enganada” pelo ambiente escuro proporcionado pelos óculos. Sem a proteção, a pupila não faz a regulagem. O resultado é que a visão fica desprotegida e os olhos recebem uma quantidade de luz até maior do que entraria se a pessoa estivesse sem os óculos, podendo causar sérios prejuízos à saúde ocular.

Também é indicado o uso de lubrificantes oculares, como os colírios. No período de férias, com o aumento do uso de computadores e vídeo games, a atividade de piscar fica reduzido e os olhos, consequentemente, mais secos. “É aquele caso do menino que nem pisca para o boneco não morrer. Só é preciso atenção para utilizar apenas lubrificantes receitados pelos especialistas”, fala.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *