Morre o comentarista da palavra abalizada

Voz pausada, entonação perfeita. Uma opinião sempre equilibrada. Ontem, no início da noite, o baiano de Ilhéus, Luís Cavalcante, aos 87 anos, deixou a crônica esportiva pernambucana de luto. Ele faleceu no Hospital Albert Sabin, na Ilha do Leite, onde estava internado. O Comentarista da Palavra Abalizada, como ficou conhecido, deixou a esposa, dois filhos, além de netos e bisnetos. Há algum tempo, ele vinha lutando contra as consequências do diabetes e também um câncer de pulmão.

Luís Cavalcante começou a trabalhar em Pernambuco no ano de 1955, na Rádio Olinda, depois de iniciar a carreira na Rádio Cultura, de Ilhéus, em 1952. No Estado, marcou época primeiro como narrador e depois como comentarista, sendo um dos mais respeitados profissionais da área, num tempo em que pontificavam no Estado cronistas como Barbosa Filho e o locutor Ivan Lima.

Em sua trajetória, ele também prestou serviços à sua categoria, como presidente da Associação de Cronistas Desportivos de Pernambuco (ACDP). Na sua gestão, a ACDP conseguiu comprar a sala onde funciona até os dias de hoje, na Rua Solimões, Bairro de Santo Antônio, centro do Recife. O dinheiro para a compra do imóvel veio da realização de um torneio entre Náutico, Sport, Santa Cruz e América.

Durante 34 anos, ele emprestou sua voz à Rádio Jornal do Commercio. Com seis Copas do Mundo no currículo, Luis Cavalcante cobriu um Mundial de futebol pela primeira vez em 1974 na Alemanha. Sua participação em coberturas de Copa do Mundo encerrou-se na França, em 1998. Por sua notoriedade e serviços prestados ao futebol local, ele foi agraciado com os títulos de cidadão do Recife e de Pernambuco por Câmara de Vereadores e Assembleia Legislativa.

Da FolhaPE