Morre um ídolo


O ex-goleiro Waldir Peres, ídolo do São Paulo e titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982, faleceu na tarde deste domingo. Aos 66 anos de idade, foi vítima de infarto fulminante logo depois de almoçar, em Mogi Mirim, no interior paulista.

O ex-jogador não sofria com nenhuma doença, segundo familiares, mas reclamou de azia e falta de ar logo depois de comer. Foi levado ao hospital 12 de Julho, mas não resistiu. Não era casado e deixa dois filhos e uma filha.

Nascido em Garça (SP), Waldir surgiu na Ponte Preta, mas foi para o São Paulo em 1973, aos 22 anos. Ficou no clube por quase 11 anos, destacando-se como defensor de pênaltis – teve atuação fundamental na conquista do Campeonato Brasileiro de 1977. Ganhou ainda os Paulistas de 1975, 1980 e 1981.

Waldir Peres foi o segundo jogador com mais partidas pelo São Paulo. Atuou em 617 partidas, acumulando 300 vitórias, 195 empates e 122 derrotas. Só é ultrapassado por Rogério Ceni, que atuou em 1237 jogos.

Waldir saiu do Tricolor paulista em 1984 e, até se aposentar, cinco anos depois, defendeu América-RJ, Guarani, Corinthians, Portuguesa, Santa Cruz e Ponte Preta. Voltou a ser campeão somente em 1988, ganhando o Estadual pelo Corinthians.

Defendeu a Seleção Brasileira entre 1975 e 1982, ano em que foi titular no Mundial da Espanha no qual o time de Telê Santana, com nomes como Falcão, Zico e Sócrates, ficou marcada pelo bom futebol apresentado, mesmo eliminada ao ser derrotada pela Itália antes das semifinais da competição.

Do Lance

Morre Padre Edwaldo Gomes, da Paróquia de Casa Forte

Após 26 dias hospitalizado, o padre José Edwaldo Gomes, 85 anos, pároco da Igreja Sagrado Coração de Jesus, em Casa Forte, na Zona Norte do Recife, morreu na noite desta quarta-feira (19). O sacerdote deu entrada no Hospital Memorial São José no último dia 22 de junho.

O velório terá início na manhã desta quinta-feira (20), na Igreja de Casa Forte, Zona Norte do Recife. O enterro será no mesmo dia, no jazigo da Arquidiocese de Olinda e Recife no Cemitério de Santo Amaro, região central da capital pernambucana.

História

José Edwaldo Gomes foi ordenado padre em 1956 e, desde 1970, era pároco da Igreja do Sagrado Coração de Jesus. Ele fundou, há 36 anos, a Creche Menino Jesus, que abriga crianças de 4 a 6 anos. Dez anos depois, foi a vez da Casa da Criança Marcelo Asfora, que acolhe crianças de 7 a 14 anos, em sua maior parte oriunda da creche. As duas instituições estão localizadas em Casa Forte.

O padre nasceu em 1931, no município de Barra de Guabiraba, Zona da Mata de Pernambuco, filho de uma família com onze irmãos. Edwaldo ingressou no Seminário de Olinda aos 13 anos e foi ordenado aos 25.

O pároco exerceu várias funções na Arquidiocese de Olinda e Recife antes de ser nomeado por dom Hélder Câmara para a Igreja de Casa Forte. Lá, Edwaldo se tornou conhecido pelas ações sociais e pela realização da Festa da Vitória Régia, que arrecada dinheiro para as instituições e já faz parte do calendário de eventos do Recife.

A jornalista Vera Ferraz, que escreveu o livro “Um Padre Nosso”, lançado ano passado sobre a trajetória do padre Edwaldo, lamentou a perda. “Nós sentimos muito, mas também temos que ver que o sofrimento dele foi enorme, ele foi um heroi”, comenta.

“Além de ser um dos mais longevos párocos de uma paróquia pernambucana, ele fazia o que poucas igrejas fazem”, continua a jornalista. “Padre Edwaldo foi muito especial e uma das coisas que mais me admirava nele é que, apesar da idade, ele era um padre muito atual, muito ligado e preocupado com os jovens”, disse.

Da FolhaPE

Educação pernambucana perde o professor Jorge Alves

Morreu nesta quinta-feira (6), no Recife, o professor de Literatura Jorge Alves. Dono de uma cultura geral vasta, transformava suas aulas em experiências de um conhecimento sólido e, ao mesmo tempo, fascinantes.

Alves trabalhou em diversas escolas do Recife, entre elas os colégios Marista, Contato e São Luis e, no fim dos anos 90, juntamente com outros educadores, fundou o Colégio NAP, onde trabalhava até os dias atuais.

O velório está acontecendo na Funerária São Sebastião, à Rua Pedro Afonso, 470, sala 2, Santo Amaro (em frente ao IML), de onde, ao meio-dia desta  sexta-feira (07) sairá o cortejo em direção ao Cemitério Parque das Flores, em Tejipió, local do sepultamento.

Perdemos Nelson Xavier

O ator Nelson Xavier morreu, aos 75 anos, na madrugada desta quarta (10), em Uberlândia (Minas Gerais), em decorrência de um câncer.

Nascido em São Paulo em 1941, Nelson Agostini Xavier atuava há cerca de cinco décadas -fez inúmeros trabalhos na TV, no cinema e no teatro.

O ator fez filmes como “Os Deuses e os Mortos” (1970), de Ruy Guerra, “Dona Flor e seus Dois Maridos” (1976), de Bruno Barreto; e “A Queda” (1978), também de Ruy Guerra, que lhe rendeu um Urso de Prata no Festival de Berlim.

Em 2010 ganhou notoriedade ao protagonizar a cinebiografia sobre Chico Xavier em filme que leva o nome do médium.

Premiado como melhor ator no Festival do Rio em 2016, Nelson Xavier interpreta em “A Despedida”, filmes que estreia no próximo dia 25, personagem que, enquanto planeja seu retorno ao crime, se vira tentando emplacar máquinas caça-níqueis em botecos suburbanos e se envolve em situações tragicômicas.

O corpo do ator será levado ao Rio de Janeiro, onde deve ser cremado nesta quinta (11).

Da FolhaPE

Morre o ex-deputado Maurílio Ferreira Lima

Morreu na madrugada desta quarta-feira (03), o ex-deputado Maurílio Ferreira Lima, aos 76 anos. Vítima de problemas coronarianos, doença relacionada ao músculo cardíaco, ele estava internado há mais de dois meses em um hospital particular da cidade.

Maurílio Figueira Ferreira Lima era natural de Limoeiro, no Agreste. Nasceu em 29 de setembro de 1940. Formou-se em Ciências Jurídicas na Faculdade de Direito da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas iniciou seus estudos na Faculdade de Direito do Recife. Ele deixou dois filhos e cinco netos. Foi oficial e chefe de gabinete do ex-governador Miguel Arraes (PSB) e exerceu mandatos como deputado estadual e federal pelo MDB e, posteriormente, pelo PMDB. Foi cassado pela AI-5 em 1968 e exilado na Argélia. Retornou ao Brasil em 1979.

O velório do parlamentar acontece a partir das 13h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, onde o corpo será cremado às 19h.

Morre Chuck Berry, a lenda do Rock

Chuck Berry, uma das lendas do rock n’ roll, morreu neste sábado aos 90 anos. A informação foi confirmada pela polícia do Missouri, que respondeu a um chamado de socorro na casa de Berry, mas o guitarrista já não respondia mais aos cuidados médicos.

Ainda de acordo com a polícia, a família de Berry pede privacidade “neste momento de luto”. A causa da morte deve ser confirmada posteriormente.

Natural de St. Louis, no Missouri, Charles Edward Anderson Berry começou a tocar ainda novo, e já se apresentava em público quando cursava o ensino médio. Depois de ser mandado para o reformatório entre 1944 e 1947 por assalto a mão armada, casou-se e começou a trabalhar numa fábrica automotiva. Influenciado no início dos anos 1950 por blueseiros como T-Bone Walker, aventurou-se em trios e parcerias até chegar a Chicago em 1955, onde fez os contatos que lhe permitiriam seguir profissionalmente na música.

(Em De Volta para o Futuro, 1955 é também o ano em que Marty McFly toca “Johnny B. Goode” para uma plateia atônita com o “advento” do rock, e a citação de Chuck é completa numa menção a um fictício primo dele, Marvin Berry, que teria apresentado o riff de guitarra a Chuck pelo telefone.)

Numa época em que a música negra dos EUA se fazia com variações de blues, Chuck Berry começou a inovar trazendo para o R&B seus solos de guitarra e letras que falavam do dia a dia dos jovens, além de seu jeito único de performance, que mais tarde serviria de influência a outra geração, a de Elvis Presley. Até hoje rádios no mundo todo tocam as versões de Berry para clássicos do começo do rock, como “Maybellene” (1955), “Roll Over Beethoven” (1956), “Rock and Roll Music” (1957) e “Johnny B. Goode” (1958).

Do Omelete

Russo, ex-assistente de palco da Globo, morre aos 85 anos

Antônio Pedro de Sousa, o ‘Russo’, ex-assistente de palco da Rede Globo, faleceu aos 85 anos neste sábado. A notícia foi divulgada pela família e a causa da morte ainda é desconhecida pela imprensa.

O ex-assistente ficou conhecido pelos 46 anos em que contribuiu como ajudante de palco na Rede Globo, com passagens nos programas de Chacrinha, Faustão, Luciano Hulk, Xuxa e Angélica.

Morre o cantor George Michael

gm

Morreu neste domingo o cantor e compositor inglês George Michael, aos 53 anos. A informação foi confirmada pela assessoria do artista ao site BBC. “É com grande tristeza que podemos confirmar que o nosso astro, irmão e amigo George faleceu pacificamente em casa durante o período de Natal”, diz o representante do astro em texto publicado no portal da emissora britânica.

A polícia londrina informou que uma ambulância foi chamada para a casa do cantor nesta tarde, mas que não foi encontrada nenhuma “circunstância suspeita”. “A família pede que sua privacidade seja respeitada neste momento de dificuldade e de emoções. Não faremos outros comentários no momento”, diz ainda o texto.

Nascido em Londres em 1963, filho de uma britânica e um imigrante cipriota grego, Michael, cujo nome real é Georgios Kyriacos Panayiotou, é dono de hits como “Careless whisper”, “Freedom 90″, Wake Me Up Before You Go-go”, e “Last Christmas”.

O astro viu sua carreira decolar na década de 80, quando formou o duo Wham! com Andrew Ridgeley. O grupo criado em 1981 se dissolveu em 1986. Depois, Michael se lançou como artista solo. Em quase quatro décadas de carreira, ele gravou sete discos, que venderam mais de 100 milhões de cópias. Foi indicado a oito prêmios Grammy, vencendo em duas ocasiões – uma pelo dueto “I Knew You Were Waiting (For Me)”, com Aretha Franklin, em 1987; e outra por “Faith”, em 1989. Sua última obra foi o álbum “Symphonica”, lançado em 2014.

Em 2012, ele chegou a se apresentar na cerimônia de encerramento da Olimpíada de Londres, onde cantou o single “White Light”. No início de dezembro deste ano, foi anunciada uma parceria entre o cantor inglês e o produtor Naughty Boy para o lançamento de um novo álbum – o oitavo de sua carreira. Não se sabe se o trabalho foi concluído.

Considerado hoje um ícone do mundo gay, Michael passou a falar abertamente sobre sua orientação sexual após ter sido preso, em abril de 1998, por “ato obsceno”. Na ocasião, ele havia sido flagrado acompanhado de um outro homem num banheiro público de Los Angeles. Um de seus relacionamentos mais barulhentos foi com o estilista brasileiro Anselmo Feleppa, que conheceu durante o Rock in Rio 1991. Portador de HIV, Feleppa morreu dois anos depois e foi homenageado por Michael com a música “Jesus to a Child”.

Ao longo de sua vida, o cantor inglês se envolveu em diversos escândalos relacionados ao consumo de drogas. Em 2010, passou quatro semanas preso por ter batido seu carro em uma loja de Londres depois de ter fumado maconha. Três anos antes, foi encontrado inconsciente em sua Mercedes Benz. Na época, também admitiu o consumo de ilícitos, mas escapou da prisão após aceitar cumprir 100 horas de trabalhos sociais.

Da Veja

Morre Dona Mira, famosa dona de restaurante em Casa Amarela

mira

Aos 77 anos, Aldemira Pereira de Lima, proprietária do famoso Restaurante da Mira, morreu na tarde desta sexta-feira (23) vítima de uma câncer de fígado. De acordo com os familiares da proprietária, ela estava internada há uma semana no Hospital da Unimed Recife III e não resistiu à doença.

Dona Mira deixa seis filhos e quatro netos. O velório ocorre a partir das 8h deste sábado (24) e o sepultamento está previsto para as 11h no Cemitério de Casa Amarela, Zona Norte do Recife.

O restaurante fica na antiga residência de Mira, localizada em uma modesta casa com tijolos amarelos na rua Eurico Chaves, em Casa Amarela. Não há placas de identificação no estabelecimento, mas está sempre cheio de clientes. Devido ao falecimento de Aldemira, o local permanece fechado até o dia 27 de dezembro, só reabrindo na próxima quarta-feira (28).

Dona Mira cuidou dos filhos e conseguiu fundar o restaurante, que começou com uma barraquinha na praça do Derby, área central, em 1978. De lá, ela se mudou para a praça do Entroncamento e, já famosa e com clientela fixa, resolveu fundar o restaurante na própria casa, a pedido dos consumidores. Com o sucesso, ela se mudou da residência, que permaneceu como o estabelecimento.

Outro feito que marcou a história da matriarca foi realizar a tradicional distribuição dos doces da festa de Cosme e Damião, realizada em setembro.

Da FolhaPE

Morre Bárbara Gollner

barbara

Por Gabriel Diniz

Morreu no sábado (19), em sua residência, vítima de infarto fulminante a professora do Departamento de Design da UFPE Bárbara Heliodora Gollner Medeiros Moreira, 38 anos. No seu curriculum universidades como Unopar, Aeso e Faculdade Marista. Na UFPE, começou a lecionar em 2007. O corpo foi velado no Cemitério Parque das Flores, em Tejipió, onde, na tarde deste domingo (20) ocorreu o sepultamento.

Mineira, de Juiz de Fora, Bárbara deixa viúvo o também professor da UFPE, José Afonso da Silva Júnior, do Departamento de Comunicação Social, e um filho, João Pedro, de sete anos.