A difícil tarefa de transitar pelas calçadas de Olinda

O simples ato de transitar pelas calçadas das ruas das grandes cidades vem se tornando uma verdadeira aventura, principalmente no estorno de grandes estabelecimentos comerciais, de ensino ou qualquer outro gênero. Um exemplo disso é o que acontece no entorno da Faculdade de Medicina de Olinda, Região Metropolitana do Recife, principalmente na rua Doutor Manoel de Almeida Belo, em Bairro Novo, Olinda.

“Aqui não há fiscalização da companhia de trânsito do município. Os carros ficam estacionados em locais proibidos , em esquinas, sobre calçadas… atrapalhando o trânsito e fazendo com que os pedestres circulem pelo meio da rua, sob o risco de acidentes”, relata o internauta Ricardo Ferraz.

Pelo CTB, a imobilização forçada do veículo por tempo indeterminado sobre o passeio é considerada infração grave. Além da perda de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) o condutor é autuado com multa no valor de R$ 195,23, além de ter o carro removido.

“Se não tem condições, não atenda”

sk

Por Gabriel Diniz

Quando a casa não tem condições de disponibilizar metade do estabelecimento para um evento fechado e deixar a outra metade para o público em geral, é melhor que não o faça. Se reserve no direito apenas de atender à festa.

É com esse pensamento que alguns clientes do Skillus Classic, na Ilha do Leite, Centro de Recife, desistiram de serem atendidos na noite deste sábado (09). “Não tinham condições! Passamos mais de uma hora esperando mesa, mesmo indicando à pessoa que organizava a entrada que haviam várias desocupadas. Depois que conseguimos entrar, um século para passar as pizzas. Sem falar dos garçons das bebidas, que ninguém os viam. Desistimos”, reclamou um dos clientes insatisfeitos.

Untitled-1

“Na noite deste sábado, a casa recebeu uma confraternização de uma empresa de cosméticos. Separou uma área para a festa (como vocês podem ver, na foto que tiramos) mas, esqueceu de informar aos garçons e demais funcionários que os outros clientes também precisavam serem atendidos. Se não conseguem receber um evento e ao mesmo tempo atender bem os demais clientes, que se reservem apenas no direito de ficarem com o evento. Esperamos mais de uma hora para arrumarem uma mesa, e quando conseguimos, nenhum garçom passou em nossa mesa, por mais de 10 minutos, por isso fomos embora”, conta outro casal descontente.

A coluna enviou reclamação ao estabelecimento e aguarda posicionamento.

Desordem na Rua do Progresso

bv

Ordem! Isso é o que pede Maria Valentina Alves, moradora de um edifício localizado na Rua do Progresso, na Boa Vista, Centro do Recife. Segundo ela, o logradouro sofre cada vez mais com a desorganização por parte do estacionamento ilegal, controlado pelos flanelinhas e o comércio desordenado de barracas de lanches, que ocupam calçadas e até mesmo a via pública. Em foto enviada pela leitora, observam-se carros estacionados em fila dupla, além de um trailler, instalado em plena rua. “A gente liga para a CTTU, eles dizem que vão enviar uma viatura, mas nunca aparecem. Desde a esquina com a Rua da Soledade, onde existe uma Fundação, é impossível se andar nas calçadas. Os comerciantes colocam mesas, cadeiras e até fogões para preparo de comida. Aqui, por trás da Fafire, teve um que colocou o negócio dele no meio da rua. Uma zona! Virou terra de ninguém”, esbraveja Valentina.

Segundo a Prefeitura do Recife, existe um plano para reordenação do comércio no Centro da Cidade. Esse plano já abrangeu as avenidas Conde da Boa Vista e Guararapes, além da Rua das Calçadas e entorno do Mercado de São José. No entanto, para a Rua do Progresso, não há data prevista para execução.

Olimpíadas 2016: corrida com obstáculos

Untitled-2

Por Gabriel Diniz

Parece até ironia, mas em tempos de Olimpíadas no Brasil, o povo recifense pode se considerar medalha de ouro na maioria das ‘provas’ que disputam em seu dia-a-dia. O internauta Rafael Ribeiro nos envia exemplo mais que perfeito dessa situação, na Rua dos Navegantes, logo após o cruzamento com a Rua Padre Carapuceiro, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. A areia proveniente da obra na frente de um edifício faz com que os pedestres que passam pelo local precisem andar no meio dos carros, na rua, para seguirem seu trajeto. O material ainda atrapalha o tráfego local, por estar também depositado na via. Um verdadeiro absurdo.

A foto é de Thiago Cogut.

Bonaparte responde reclamação de leitor

bona

O Restaurante Bonaparte, através de sua Coordenação de Franquias, respondeu à reclamação do leitor Gabriel Lima, publicada na coluna “Botando pra Torar”, no último dia 15. Segundo o leitor, atendido na unidade do Shopping RioMar, a caixa do estabelecimento não deu desconto por o prato escolhido por ele estar incompleto, mas queria cobrar a mais, pela substituição do molho que estava em falta.

Abaixo, a resposta do restaurante.

“Prezado Gabriel, bom dia!

Primeiramente queremos agradecer o envio do e-mail reclamatório a nossa Central do Grupo Bonaparte referente ao Bonaparte Shopping Rio Mar – PE. São clientes como o senhor que nos dão Feedback das nossas lojas contribuindo para o nosso crescimento. Realmente a prática exercida nesse fato não corresponde ao nosso padrão, prezamos pela qualidade de atendimento e alimento em toda nossa rede. Já entramos em contato com o franqueado, para que possa tomar as devidas providências e nossos superiores também estarão averiguando o ocorrido. 

Deixo esse canal de comunicação aberto. Sempre a disposição!

unnamed

Relembre o caso:
Falta fidelização ao cliente no Bonaparte do Shopping RioMar