William Waack é afastado do Jornal da Globo após vídeo com comentário racista cair na web

A Rede Globo informou na noite desta quarta-feira (8) que o jornalista William Waack será afastado do Jornal da Globo. A decisão acontece depois de um vídeo que mostra um bastidor de uma cobertura do telejornal vazar. Nas imagens, Waack está em Washington, nos EUA, e reclama de um motorista que passa buzinando. “Tá buzinando por que, seu merda do cacete?”, diz o jornalista. Ele diz então para o convidado que está ao seu lado para a transmissão: “No vou nem falar, eu sei quem é…” Depois, ele se vira para o convidado e diz – com o som já mais baixo: “Preto, né? É coisa de preto com certeza”.

 A Globo afirmou que a princípio o jornalista está afastado e que a partir de amanhã vai discutir as implicações a longo prazo. Diz ainda que é “visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações”. O próprio Waack ainda não veio a público para comentar o caso, mas segundo nota da Globo ele “afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza”, mas pede desculpas a quem se sentiu ofendido.

O telejornal será apresentado por Renata Lo Prete, substituta “oficial” de Waack no programa.

O vídeo é de 8 de novembro do ano passado, na ocasião da cobertura sobre a eleição de Donald Trump como presidente dos EUA. Waack está ao lado de Paulo Sotero, diretor do Wilson Center, que comentava a ocasião. “Eu acho que o William não é assim. Eu, certamente, não sou assim, repudio racismo”, disse Sotero hoje ao Buzzfeed News. Depois de ver o vídeo, ele afirmou que não conseguiu ouvir o que Waack falou. “Não me impactou na hora, e teria me impactado, porque eu não brinco com racismo, sexismo e homofobia”, garante.

A hashtag #WilliamWaack foi para o segundo lugar entre os assuntos mais comentados do Twitter no Brasil na tarde de hoje por conta do vídeo. “Quem trabalha na Globo e decidiu vazar esse vídeo do William Waack tem nossa eterna gratidão”, comentou um usuário do Twitter. “Vazou um vídeo do William Waack sendo racista. Eu não deveria estar chocada, mas estou”, comentou outra internauta.

Leia a nota divulgada pela Globo:

“Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida.

Nele, minutos antes de ir ao ar num vivo durante a cobertura das eleições americanas do ano passado, alguém na rua dispara a buzina e, Waack, contrariado, faz comentários, ao que tudo indica, de cunho racista. Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza, mas pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação.

William Waack é um dos mais respeitados profissionais brasileiros, com um extenso currículo de serviços ao jornalismo. A Globo, a partir de amanhã, iniciará conversas com ele para decidir como se desenrolarão os próximos passos”

Outros casos

Apresentador do “Jornal da Band”, Boris Casoy protagonizou um caso famoso no país. O gari José Domingos de Melo apareceu em uma vinheta desejando “feliz Natal”, mas uma falha técnica permitiu que um áudio de Boris fosse ouvido. “Que merda, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho”, comentou. Ele foi processado e teve que indenizar o gari em 2010.

Em 2005, o apresentador William Bonner causou polêmica ao comparar o telespectador médio do “Jornal Nacional” a Homer Simpson, pai simplório de “Os Simpsons”. A comparação foi feita diante de nove professores de universidade que visitavam os estúdios. Depois, ele se desculpou e afirmou que usou Homer como exemplo porque ele “representa um pai de família, um trabalhador conservador, sem curso superior, que após uma jornaada de trabalho, quer ter acesso às notícias mais relevantes do dia de forma clara e objetiva”.

Em 1998, durante uma reportagem sobre o Ballet Kirov no “Fantástico”, o apresentador Pedro Bial foi ouvido falando “isso é coisa de veado”.

Do Correio24h

Morre ex-apresentador do Jornal Nacional e do Fantástico

berto

Morreu neste sábado (12) o jornalista Berto Filho, o primeiro apresentador do RJTV, também atuou no Fantástico e no Jornal Nacional, da TV Globo, nos anos 80. Ele padecia de câncer na garganta e no cérebro há dois anos. Berto completaria 76 anos de idade neste domingo (13), e os filhos organizavam uma festa de aniversário para comemorar a data.

Em tratamento no Instituto Nacional do Câncer (Inca) de Vila Isabel, na Zona Norte da cidade, o jornalista morreu por volta de 13h. Desde janeiro do ano passado, depois de perder a mulher, Berto morava no Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

“Um paizão. Meu melhor amigo.” Na tarde deste sábado, os olhos marejados de Henry Lelot, filho do jornalista, precediam a lágrima que caía quando se referiu à saudade que sentirá do pai. Berto estava internado no hospital do Instituto Nacional do Câncer (Inca), em Vila Isabel, Zona Norte do Rio, e morreu dormindo, de acordo com o filho.

berto2

Na trajetória de luta contra a doença, os parentes de Berto comemoravam uma recente melhora. Ainda no ínicio de 2015, o câncer havia sumido. No mesmo dia que teve alta, porém, a mulher de Berto foi internada, também com câncer.

Ela viu ele com câncer. Sofreu muito. Quando ele recebeu a alta, ela me falou: “Henry, vai lá pegar que o seu pai está saindo do hospital”. No dia seguinte, ela foi internada, ficou 33 dias entubada, na UTI, e morreu. Acho que isso também mexeu muito com ele. Esse ano que passou foi como uma sobrevida”, disse Henry.

berto1
Parceiros de uma vida inteira, Berto e a mulher estavam juntos há 55 anos. Com a perda da mulher e a reincidência do câncer, Berto voltou a ser tratado no Inca. Lá, uma nova bateria de exames, além de radioterapia e quimioterapia.

“Ele melhorou. De um dia para o outro, começou a falar. A voz voltou, voltaram os planos”, contou o filho do jornalista. Henry, agora, quer seguir com um dos últimos projetos do pai. Durante o último ano, Berto escreveu um livro e faltam detalhes para que seja publicado, revelou o filho.

Em um dos últimos diálogos de Henry com o pai, o filho do jornalista conta como tentava alentar Berto a respeito do que poderia ser o destino. A última vez que Henry esteve com o pai foi nesta sexta-feira (11) à tarde.

“Pai, você sabe que a gente tem que encarar de frente as coisas. Você sabe que está com dois caminhos à frente. Mas os dois são bons. Um, se você sobreviver e ficar aqui comigo, com a gente, nós vamos publicar esse livro juntos. Você vai me ajudar. E depois, você vai acabar indo, não tem jeito. A outra opção é caso Deus queira te levar antes. Imagina só, se ele te levar antes. Quem vai te buscar é a mamãe. Você vai se encontrar com ela lá. Está todo mundo lá te esperando. Lá tem mais gente que você ama do que aqui, já”, contou emocionado o filho.

Do G1