Vendedor de água mineral da Av. Agamenon Magalhães flagrado abastecendo garrafas com líquido de balde

Untitled-4

Por Gabriel Diniz

A foto de um vendedor de água mineral, daqueles que ficam nos sinais da Av. Agamenon Magalhães, no Recife, vem causando revolta nas redes sociais. A imagem mostra ele abastecendo as garrafas de água mineral, que serão vendidas, com líquido coletado de um balde.

O consumo de água contaminada, imprópria para o consumo pode causar doenças como diarreia, febre tifoide, hepatite A, infecção intestinal causada por E. Coli, leptospirose, salmonela e outras doenças como cólera, rotavírus ou noravírus.

A orientação dos órgãos de defesa do consumidor e da Secretaria de Saúde do Recife é de que o consumidor só consuma produtos com procedência garantida.

Uma ideia sobre “Vendedor de água mineral da Av. Agamenon Magalhães flagrado abastecendo garrafas com líquido de balde

  1. Na Agamenon há um ambulante que vende água de coco em garrafa. É ele quem colhe os cocos e coloca nas garrifinhas de água natural, geralmente fazendo o processo na própria avenida. Ele armazena a água de coco numa espécie de balde de isopor, que mantém a baixa temperatura, e transfere para as garrafinhas sempre que termina de vender as que já tinha carregado. Sempre que passo na avenida o vejo enchendo as garrafa e sempre tem gente comprando, afinal é mais fácil que andar carregando um coco por ai. O cara trabalha lá todo santo dia. Ai vem um infeliz, que aparentemente não tem muito raciocínio, e vê somente o momento que o tio tá enchendo as garrafas e deduz que seja água do canal, ou seja, o moço enche as garrafas com água de canal para vender por aí como se fosse agua mineral. Eu não sei se é mais bizarro a forma que a “denúncia” foi feita, com o cara tirando uma foto do tio enchendo as garrafas e fazendo uma descrição cheia de ódio contra o “jeitinho brasileiro”(????), ou as pessoas fazendo coro e repudiando o injustamente denunciado. Poucos foram os que se preocuparam em questionar sobre as fontes das informações, poucos foram os que atentaram que mesmo se fosse verdade – o que não é -, expor um vendedor de água no meio da internet como se fosse um bandido é não só irresponsável como desonesto e irracional. Que doidera, que doidera.

    (ps. Dada as proporções da circulação da imagem, eu peço para que quem puder, por favor, dê esse toque nas pessoas que estão compartilhando essa falsa denúncia. Não sei se adiantará algo, mas sei que é o que pode e dever ser feito. E quem quiser confirmar, o tio ta por lá sempre entre os sinais!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *